Menu principal
 

Programação da I Facchu movimentou a semana no Campus Brusque

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Terminou nesta quinta-feira (13) a primeira edição da “Semana de Formação Acadêmica e Científica e Cultural e Humanística e …”, a Facchu, no Campus Brusque do Instituto Federal Catarinense. A cerimônia de encerramento contou com a presença da coordenadora de Extensão, Ângela Meneses e da coordenadora de Pesquisa do campus e coordenadora geral do evento, professora Adriana Neves Dias.

A palestra de encerramento, “Qual a vida vale a pena ser vivida?”, foi ministrada pelo filósofo e escritor de Brusque Rodrigo Cesari. Na conferência, Rodrigo possibilitou a reflexão a respeito da essência do ser humano e da importância de utilizarmos tudo aquilo que fazemos em nossa vida para melhorar a vida dos outros.

Na sexta-feira (14) houve ainda uma apresentação, no auditório do campus, dos resultados dos trabalhos desenvolvidos durante a Facchu pelos Grupos de Trabalho.

Fazendo um balanço geral do evento, a coordenadora Adriana Neves Dias disse que a Facchu foi proposta a fim de realizar uma semana integrada de ensino, pesquisa e extensão do IFC Campus Brusque de maneira conjunta às outras instituições de ensino da cidade e demais membros da comunidade, proporcionando aos participantes experimentações e vivências culturais e acadêmicas diversas. “Durante estes dias de evento, foi possível oportunizar e incentivar estas experimentações e vivências. Desta forma, a importância do evento para o instituto e a comunidade como um todo é a inserção destes novos hábitos. Foi dado início ao movimento e agora, a cada nova edição da Facchu, esperamos o fortalecimento destas atividades”, destacou.

Troca de conhecimentos e experiências – A programação da Facchu teve início na última segunda-feira (10) e contou com atividades como oficinas, exposições, mostra acadêmica, mostra cultural, feiras, espetáculo teatral, palestras e Grupos de Trabalho. Das atividades participaram os estudantes, professores e servidores do IFC e a também alunos de outras instituições e membros da comunidade externa.

O aluno Samuel Carvalho, do Curso Técnico em Química Integrado ao Ensino Médio, classificou como positiva a experiência de participar do evento, pois teve a oportunidade de aprender muito. Ele destacou que foi muito interessante participar do Grupo de Trabalho de Ervas Medicinais, que também contou com a presença de alunos da Apae de Brusque. Sallua Alves, também discente do Curso Técnico em Química Integrado ao Ensino Médio, ressaltou que foi muito interessante participar da Facchu pois, além de apresentar o projeto do qual faz parte, foi possível conhecer atividades e projetos de outros colegas e conhecer um pouco mais sobre o IFC. Já a aluna Karine de Oliveira Viana da Silva, que participou da oficina de Direcionamento Profissional, disse que obteve novos conhecimentos que lhe deram uma nova visão para o mercado de trabalho e que contribuíram para repensar sobre a vida.

As professoras da Apae Sandra Waldrigues e Joice Diegoli destacaram que ter participado do evento, por meio do Grupo de Trabalho de Ervas Medicinais, possibilitou aos alunos da Apae maior integração com outros estudantes, contribuindo na troca de conhecimento e aprendizado científico em conteúdos que eles vivenciaram apenas na prática, quando fizeram o resgate da horta na Apae – além da oportunidade de mostrar as experiências vividas por eles. Essas trocas aconteceram com muito respeito, tolerância e paciência, propiciando a inclusão, destacaram as professoras.

Para o professor do IFC Tiago Alves, a Facchu foi uma oportunidade de mostrar que o conhecimento não está restrito à sala de aula, à explicação ou aos livros, ele vai muito além e pode ser compartilhado em diversos ambientes.

Texto: Cecom/Brusque/Vanderleia Gemelli